Servidores do município de Bom Jesus das Selvas, fecham ano de 2021 com saldo negativo de -3% em seus salários

Os servidores públicos municipais de Bom Jesus das Selvas, paralisarão suas atividades laborais por um período de 24h nesta sexta feira (dia 12/11), em advertência à Administração Municipal.

O motivo da paralisação, que pode culminar em uma greve por tempo indeterminado, deve-se ao fato do descumprimento e não aplicabilidade dos recursos oriundos do Novo FUNDEB, que foi instituído como instrumento permanente de financiamento da educação pública por meio da Emenda Constitucional n° 108, de 27 de agosto de 2020, e encontra-se regulamentado pela Lei nº 14.113, de 25 de dezembro de 2020, de maneira correta.

Outros motivos que estão na pauta de reivindicação são: a retirada de alguns direitos dos funcionários públicos, como o quinquênio, por exemplo, e também, à não concessão de qualquer ajuste ou reajuste salarial no ano corrente (2021).

E para agravar ainda mais a situação, de maneira sorrateira e covarde, fora aprovado pela câmara municipal um projeto de lei enviado pelo prefeito Fernando Coelho, que aumentou de 11% para 14% os descontos previdenciários. Vale ressaltar que no município o Regime Previdenciário Social é Próprio (RPPS) e que inclusive já foi alvo de ação da PF, em uma operação que ficou conhecida como “Operação Miqueias”

Portanto, os servidores da referida cidade, fecha o ano de 2021 com um saldo negativo de -3% em seus proventos, o que tem gerado muita revolta e descontentamento generalizado.

Tudo isso, levou o Sindicato dos Servidores Públicos a entrar com ação junto ao Ministério Público contra a gestão municipal e ainda em assembleia geral extraordinária, fora aprovado por unanimidade pelos servidores, a paralisação de advertência citada anteriormente.

“Enquanto a gente ver outros gestores de outros municípios do nosso estado e Brasil a fora, pagando décimo quarto salário, ou pagando abono salarial, aqui em nossa cidade, apesar do aumento significativo dos repasses do FUNDEB, amargamos 0% de ajuste salarial e ainda por cima vamos fechar o ano no vermelho com -3% em nossos salários. Esse é o maior calote financeiro da história de nossa cidade contra o servidor público. Por isso, vamos paralisar e fazer greve se for necessário, até que nossas reivindicações sejam atendidas, nossos direitos cumpridos e sejamos respeitados pelo prefeito atual,” disse um funcionário da rede pública ao blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.