Prefeitura constrói poço sem licença ambiental no Socorrão…

Blog do Marco D’Eça

A imagem que ilustram este post são de uma obra da Prefeitura de São Luís no Hospital Djalma Marques, o  Socorrão I.

Trata-se de um poço artesiano que a direção do hospital decidiu fazer sem licença ambiental alguma – nem da Secretaria Municipal e muito menos da Secretaria estadual do Meio Ambiente.

Sem as licenças necessárias, é uma obra perigosa para a própria saúde dos pacientes do Socorrão.

Pior: a obra está sendo feito sem nenhum contrato formal, só de boca. Não tem nenhum tipo de projeto e muito menos de dados sobre os objetivos.

O Socorrão precisa dizer para que servirá a água coletada deste poço artesiano. Precisaria, por exemplo, de um estudo geológico, para definição da qualidade da água.

Esta água pode ser perigosamente contaminada para uso hospitalar.

Sem estes estudos, sem as licenças, é uma água imprestável, por exemplo, para  a utilização em hemodiálise, procedimentos feitos com frequência no Socorrão.

A obra, como se vê, está em adiantado estado.

E não há sinais de que será paralisada para correção das irregularidades…

As imagens que ilustram este post são de uma obra da Prefeitura de São Luís no Hospital Djalma Marques, o  Socorrão I.

Trata-se de um poço artesiano que a direção do hospital decidiu fazer sem licença ambiental alguma – nem da Secretaria Municipal e muito menos da Secretaria estadual do Meio Ambiente.

Sem as licenças necessárias, é uma obra perigosa para a própria saúde dos pacientes do Socorrão.

Pior: a obra está sendo feito sem nenhum contrato formal, só de boca. Não tem nenhum tipo de projeto e muito menos de dados sobre os objetivos.

O Socorrão precisa dizer para que servirá a água coletada deste poço artesiano. Precisaria, por exemplo, de um estudo geológico, para definição da qualidade da água.

Esta água pode ser perigosamente contaminada para uso hospitalar.

Sem estes estudos, sem as licenças, é uma água imprestável, por exemplo, para  a utilização em hemodiálise, procedimentos feitos com frequência no Socorrão.

A obra, como se vê, está em adiantado estado.

E não há sinais de que será paralisada para correção das irregularidades…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.