“Palanque político”, diz Neto Evangelista sobre CPI presidida por Duarte Jr

O deputado estadual Neto Evangelista (DEM) classificou como “palanque político” a CPI dos Combustíveis, idealizada e presidida pelo deputado estadual Duarte Jr. (Republicanos), e que permanece com suas atividades suspensas na Assembleia Legislativa devido a pandemia.

“Todos nós sabemos que a diminuição ou elevação do preço do combustível depende de vários fatores, dentre eles a política do Governo Federal, da Petrobras, estando ainda indexada à variação do preço do barril de petróleo. Portanto, dizer que uma CPI instalada no Maranhão pode ser responsável pela baixa do preço, por exemplo, é uma mentira, um engodo. Não podemos enganar a população. A instalação desta Comissão Parlamentar de Inquérito, na minha avaliação, foi desnecessária. Houve, pelo menos, sapiência de se eleger o deputado Roberto Costa como relator. Ele detém condições morais e mentais para desempenhar este papel”, afirmou Evangelista em entrevista ao Programa Ponto Continuando, apresentado pelos jornalistas Clodoaldo Corrêa, Glaucio Ericeira e Rogério Silva, na noite de ontem.

Ex-candidato à Prefeitura de São Luís, Neto Evangelista tratou de outros temas utilizando sempre da sinceridade que lhe é peculiar.

Confirmou que pretende disputar o cargo de deputado federal ano que vem. E seu objetivo é fazê-lo pelo Democratas. No entanto, não descartou a possibilidade de trocar de endereço partidário.

O parlamentar publicizou apoio irrestrito ao senador Weverton Rocha (PDT), pré-candidato ao Governo do Estado.

“O Weverton abraçou nossa campanha de prefeito ano passado. Seria injusto da minha parte não estar ao lado dele. Além disso, é o mais preparado para governar o Maranhão, possuindo ótimas relações em Brasília, o que também é fundamental para se administrar um Estado. O DEM também apoia a pré-candidatura do Weverton. Sobre o Senado, ainda não foi iniciada uma discussão sobre como o partido irá se posicionar”, disse.

Evangelista confirmou o que o editor do Blog já havia antecipado (reveja) em relação aos critérios estabelecidos pelo governador Flávio Dino para escolher o candidato que lhe sucederá.

Ele elogiou a gestão do prefeito Eduardo Braide (Podemos) no que se refere à vacinação contra a Covid.

Neto também revelou uma situação que reflete bem a imaturidade política do ex-prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

O democrata havia conseguido viabilizar em Brasília recursos da ordem de R$ 25 milhões, através da Codevasf, para asfaltamento de vias da capital.

O dinheiro não veio para a Prefeitura por que Edivaldo, à época, não assinou o convênio.

“Estamos novamente, em Brasília, com o apoio do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, buscando novos recursos e tenho certeza que obteremos êxito. Desta vez será diferente por que o prefeito Braide não é de se esconder”.

Sobre sua opção de apoiar Eduardo Braide para prefeito, no segundo turno da eleição em São Luís, Neto afirmou que nunca foi de ficar em cima do muro e que optou pelo melhor nome para a cidade.

“Se o Rubens Jr. tivesse ido para o segundo turno, o apoiaria. Assim como ele faria a mesma coisa comigo. No entanto, a única coisa fora de cogitação era apoiar Duarte, que apenas desagrega”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.