Só do deputado Adriano Sarney golpista do WhatsApp levou 70 mil reais

Uma operação da Polícia Federal em conjunto com a Polícia Civil do Maranhão e do Paraná prendeu na manhã desta terça-feira (17), em São Luís, quatro suspeitos de integrar quadrilha que aplicava golpes pelo aplicativo whatsapp.

Segundo o delegado do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), Odilardo Muniz dentre os presos está Leonel Silva Pires Júnior que seria o chefe da organização.

O delegado Odilardo Muniz disse que Leonel se passou por político e conseguiu por meio do golpe um depósito no valor de R$ 70 mil. “O Leonel fez várias vítimas como, por exemplo, o deputado Adriano Sarney. Os mandados que estamos cumprindo aqui teve como vítima a pessoa do Adriano Sarney, que depositou 70 mil reais em contas fraudulentas para o Leonel e para os seus comparsas”. Informou o delegado.

De acordo com o delegado, Leonel usava a sua empresa para realizar os golpes. “Leonel utilizou a sua empresa para conseguir chips para justamente trocar esses chips. Ele cancelava o chip real e resgatava no chip normal. Dos 120 chips que ele tinha, que a sua empresa faturou, 79 foram utilizados para golpes só na operadora Vivo”. Disse Odilardo Muniz .

Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de invasão de dispositivo informático, estelionato e associação criminosa, previstos nos arts. 154-A, §3º e §5º, e 171, §3º e 288 do Código Penal Brasileiro. Além do líder, tiveram mandados de prisão decretados durante a operação: ANA LÚCIA MIRANDA ROCHA, ERICK RAPHAEL REIS TEIXEIRA, ELOAH CHRISTINA ARAÚJO MACHADO, IVANILDE NOGUEIRA AMARAL, MARKSUEL PEREIRA DE SOUSA, RUDSON JANUARIO SERRA e THATIELLE CRISTINA CORDEIRO SILVA.

Blog do Domingos Costa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.