Júnior Bolinha desabafa e conta tudo em audiência; Marcos Regadas foge de novo…

Blog do Marco D’Eça

O empresário José Raimundo Chaves Júnior, o Júnior Bolinha, esteve hoje pela manhã na 6ª Vara Criminal de São Luís, onde seria testemunha em uma ação movida pelo empresário Marcos Regadas contra um grupo de blogueiros – inclusive o titular deste blog.

O objetivo da audiência era ouvir de Bolinha se ele confirma a autoria de uma carta publicada nos blogs, na qual ele conta detalhes da suposta trama armada por Marcão Regadas para matar Décio Sá.

Regadas processa os jornalistas por causa da publicação da carta.

Estranhamente, no entanto, ele foge da acareação com Bolinha como o diabo foge da cruz. Esta é a terceira audiência adiada por que o dono da Franere usou uma justificativa para não comparecer – agora alegou estar doente, embora não tenha presentado atestado.

Presente, Bolinha confirmou tudo para advogados, funcionários do Cartório e o titular deste blog, mesmo sem depor oficialmente.

– Ele [Marcão] não tem coragem de vir aqui por que sabe que eu sei de tudo. E vou contar tudo. Pode ter certeza que o que foi publicado é a verdade – disse o empresário, que foi levado ao fórum por uma escolta policial.

Em suas acusações, Bolinha cita também o capitão PM Fábio Capita, como operador do grupo de Marcão.

– Ele sabe do encontro do Gran Cru, das reuniões. Quem é o dono de um loteamento em Paço do Lumiar, em parceria com um deputado do Ceará? Todos sabem – afirmou.

Com relação à carta publicada nos blogs- e motivo do processo de Marcão Franere – o empresário não titubeou.

– A carta foi escrita por mim. Não tem minha assinatura, mas é de minha autoria – afirmou.

A juíza que presidiu a audiência marcou nova data para ouvir Bolinha, no dia 23 de abril,  desta vez com Marcão cara a cara com ele.

E curiosamente, será no dia em que o assassinato de Décio completa três anos…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.