Posicionamento do TSE sobre cassações dá a Roseana tranquilidade para decidir sobre sucessão

Blog do Gilberto Léda 

A decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de declarar inconstitucional o uso dos recursos contra expedição de diplomas (RCEDs) para a cassação de mandatos eletivos (reveja) deixou em frangalhos as principais lideranças da oposição maranhense.

Não apenas pelo fato de verem ruir em uma noite o sonho alimentado durante três anos de devolver na mesma moeda à governadora Roseana Sarney (PMDB) a cassação que ela conseguiu levar quando o governador era o pedetista Jackson Lago.

Mas, principalmente, pela repercussão que essa fato pode ter nas eleições de 2014.

Se o processo da peemedebista fosse mesmo julgado pelo TSE, era muito provável que ela fosse apeada do poder. Assim avaliavam especialistas em direito eleitoral tanto da oposição, quanto do governo.

Sendo assim, era quase certo que ela não teria condições de comandar suas própria sucessão.

Agora, com a garantia de que poderá ficar no mandato até dezembro de 2014, dependerá apenas da própria Roseana a decisão sobre o seu futuro político: se conclui mesmo o mandato e ajuda a eleger o aliado Luis Fernando Silva (PMDB), ou se sai em março para disputar uma vaga ao Senado.

Qualquer que seja a decisão, no entanto, agora ela poderá ser tomada com a tranquilidade de quem sabe que não terá mais problemas a enfrentar na Justiça Eleitoral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.