Deputados pedem reforço na segurança para as eleições no Maranhão

Deputado André Fufuca

Preocupados com a ocorrência de diversos episódios violentos na campanha eleitoral, deputados ocuparam a tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde desta segunda-feira (24), para pedir mais condições de segurança às eleições municipais que se serão realizadas no próximo dia 7 de outubro.

O presidente da Casa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), defendeu medidas mais enérgicas para conter a violência eleitoral.

“A nossa posição é de cobrança de todos os Poderes, para que estejamos irmanados na luta por eleições limpas, tranqüilas e, sobretudo, que sejam realizadas com absolutas condições de segurança para a nossa população”, afirmou Arnaldo Melo.

No mesmo tom, pronunciaram discursos na tribuna os deputados Eduardo Braide (PMN), Carlos Alberto Milhomem (PSD),  Edilázio Júnior (PV), Marcelo Tavares (PSB),  Othelino Neto (PPS), Marcos Caldas (PRB) e André Fufuca (PSD).

A maioria deles fez referência à morte trágica do vereador Aldo Andrade, de 48 anos, assassinato a tiros, na noite de sábado (22), no município de Barra do Corda.

O deputado Eduardo Braide observou que o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão já se mobilizou, solicitando reforço da segurança para diversos municípios. Entretanto, até agora, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) autorizou o envio de forças federais somente para o município de São Mateus.

 “O TSE ainda vai analisar os outros pedidos. Mas acho que essa análise tem que ser feita o mais rapidamente possível para que a população desses municípios, tenha segurança no dia da eleição e, principalmente, nesses dias que antecedem o domingo do dia 7 de outubro”, frisou Braide.

O deputado Carlos Alberto Milhomem comentou que a violência nos municípios transforma-se em uma crônica anunciada: “Eu disse, há duas semanas, que o sangue iria correr, eu disse, há duas semanas, que a violência iria ser disseminada, eu disse, há duas semanas, que era preciso uma ação enérgica, uma ação firme do TRE, para que vidas não fossem ceifadas”, declarou Milhomem, lamentando o assassinato do vereador Aldo Andrade.

“O vereador da Barra do Corda, um jovem ainda na pujança da vida, empresário, foi abatido por tiros e não foi em uma briga comum, foi crime de pistolagem pura, foi crime de quem sabe fazer o serviço. E eu pergunto, será preciso que continuemos a assistir e a ver a barbárie?”, questionou Milhomem.

O deputado André Fufuca também manifestou-se preocupado, dizendo que em sua região, o Vale do Pindaré, há um clima de insegurança que vem se acirrando com a proximidade das eleições. “O que eu peço é que a Força Nacional assegure a eleição em Alto Alegre, pois nós não podemos, os eleitores de Alto Alegre não podem ser reféns de uma inusitada situação de insegurança, como estamos vendo agora, e não se pode ser refém dos interesses de apenas uma pessoa, que é o prefeito daquela cidade”, afirmou Fufuca.

O deputado Edilázio Júnior solidarizou-se com os demais deputados que estão alarmados com a onda de violência na campanha eleitoral. E aproveitou para pedir reforço policial para o município de Vitorino Freire onde, segundo afirmou, também há um preocupante ambiente de disputa eleitoral.

“Peço a atenção e o empenho do secretário de Segurança Pública do nosso estado, peço o empenho dos delegados e da Polícia Militar local, para que faça a revista nos militantes que amedrontam aquela população”, frisou Edilázio.

O líder da Oposição, deputado Marcelo Tavares, fez um discurso contundente, afirmando que de fato há um acirrado clima de violência neste período pré-eleitoral. “Mas isso só tem um responsável, uma responsável, que é a Governadora do Estado, na medida em que esse ambiente de insegurança que nós temos, no Maranhão, é causado pela falta de efetivo, não tem efetivo das polícias nos municípios, não tem polícia no interior do Maranhão”, declarou Marcelo Tavares, frisou que todos estes problemas são decorrência da falta de priorização do Sistema de Segurança Pública do Maranhão.

Os deputados Othelino Neto e Marcos Caldas também se manifestaram sobre o assunto, chamando a atenção para a necessidade de que, tanto no interior do Estado quanto na capital maranhense, o Governo do Estado busque todos os meios e todas as condições para que o Maranhão tenha um clima de segurança e tranqüilidade nas eleições do próximo dia 7 de outubro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.