Em crise, Gafisa/Tenda anuncia prejuízo de R$ 1 bi

Rio — A Gafisa, quinta maior construtora residencial do país em receita, registrou a maior queda de suas ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) em mais de três anos, após relatar prejuízo anual de R$ 1,093 bilhão, causado por cancelamentos de compras e provisões. Na esteira dos resultados ruins, divulgados no domingo, o setor de construção foi destaque de baixa na Bovespa, num dia em que o Ibovespa subiu 1,09%. As ações ordinárias (ON, com voto) da Gafisa caíram 4,19%, a R$ 4,12. Os papéis chegaram a cair 8,6%, para R$ 3,93, o menor nível em um pregão desde dezembro de 2008.

A empresa, que executa várias obras em São Luís como o Gran Park em parceria com a Franere, teve prejuízo de R$ 1,093 bilhão em 2011, após um lucro líquido de R$ 416 milhões no ano anterior. A Gafisa apresentou números preliminares não auditados, justificando que, após realizar “profunda análise dos impactos econômicos das mudanças estratégicas adotadas e da revisão orçamentária requerida (…), os auditores vão necessitar de tempo adicional para completar seus trabalhos”. Os dados consolidados devem ser divulgados até dia 9.

O resultado foi afetado por ajustes de R$ 889,5 milhões, incluindo revisão de custos, provisões e cancelamentos — 69% na Tenda (unidade para baixa renda) e 31% na Gafisa. No quarto trimestre, a Gafisa reajustou o orçamento de custos de construção no valor de R$ 587 milhões, 6% da base original de custos totais. Com isso, o impacto nos resultados foi de R$ 440,9 milhões.

Os números “refletem a contínua deterioração” dos resultados da companhia, já que “grande parte dos ajustes foram deixados para o fim do ano”, escreveram os analistas Guilherme Rocha, Daniel Gasparete e Vanessa Quiroga, do Credit Suisse Group AG, em relatório a clientes. “Com nível recorde de endividamento e com cenário futuro que não está claro, continuamos a recomendar cautela.”

Segundo Luis Gustavo Pereira, estrategista da corretora Futura, os resultados das construtoras no quarto trimestre de 2011 já vinham decepcionando investidores. Por isso, os dados de ontem influenciam o mercado como um todo. A concorrente MRV ON perdeu 4,25% (R$ 12,40), maior baixa do Ibovespa. Também caíram Rossi ON (2,23%, a R$ 9,64), PDG ON (2,06%, a R$ 6,18) e Brokfield ON (1,37%, a R$ 5,75).

— O resultado da Gafisa serve de motivo para vender ações do setor — disse Pereira.

A Gafisa prevê lançamentos entre R$ 2,7 bilhões e R$ 3,3 bilhões em 2012, enquanto as entregas ficarão entre 22 mil e 26 mil unidades. O fluxo de caixa operacional deve ficar entre R$ 500 milhões e R$ 700 milhões.

Desde que comprou a Tenda, em 2009, a Gafisa tem queda de margem e lucro. Para eliminar entraves, a Gafisa vai relançar unidades e requalificar compradores que não mais se adequavam ao financiamento bancário. O objetivo é zerar o nível de cancelamentos de vendas, em 30% a 35% do total. A Tenda é o braço popular da Gafisa.

— Só vamos lançar empreendimentos aprovados por instituições financeiras e para compradores qualificados — disse o presidente-executivo da Gafisa, Duílio Calciolari, em teleconferência ontem. — O novo modelo foi concebido para não haver cancelamento de vendas (…) serão aprovados apenas compradores com condições de pagamento. Leia mais aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.