Mercadante deve mudar quatro secretarias no MEC após a posse

Da Folha.com

O futuro ministro da Educação, Aloizio Mercadante, deve trocar quatro ocupantes de cargos de confiança do ministério, entre secretários e diretores de fundos ligados à pasta. A cerimônia da saída de Fernando Haddad do cargo — que vai concorrer à Prefeitura de São Paulo– e posse do novo ministro está marcada para esta terça-feira.

Outros cinco servidores de confiança do atual ministro, Fernando Haddad, serão mantidos, pelo menos inicialmente.

A Folha apurou que está praticamente certa a saída de Malvina Tuttmann, presidente do Inep, órgão ligado ao ministério e responsável pela realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Inicialmente, a atual gestão pretendia pedir ao futuro ministro que mantivesse Malvina na organização da edição do primeiro semestre do Enem neste ano. No entanto, o próprio Haddad anunciou na semana passada que o exame não seria mais realizado nos dias 28 e 29 de abril deste ano. Será mantido o modelo com uma única edição, no fim do ano.

Outros que devem deixar o ministério são Maria Pilar Lacerda (secretária de Educação Básica), Eliezer Pacheco (secretário de Ensino à Distância) e Carlos Abicalil (secretário de Articulação dos Sistemas de Ensino).

Por outro lado, serão mantidos em seus cargos José Henrique Paim Filho (secretário-executivo do ministério), José Carlos Wanderley Dias de Freitas (presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e Claudia Dutra (secretária de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade).

O atual secretário de Educação Superior, Luiz Cláudio Costa, deve ser mantido na gestão Mercadante, mas provavelmente não em seu cargo atual.

Luís Fernando Massonetto, secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior, deve permanecer inicialmente em seu cargo, mas sua permanência não está garantida a longo prazo.

BAIXA ADESÃO

A cerimônia de troca de ministros foi batizada de “ProUni: um milhão de bolsas concedidas, a realidade transformada”. Foi exibido um vídeo com depoimento de estudantes que disseram que somente através do programa tiveram possibilidade de ingressar na universidade.

A maioria dos ministros compareceu ao evento, mas a senadora Marta Suplicy, que também pleiteava a candidatura à Prefeitura de São Paulo não havia chegado até o discurso de Haddad.

Marcado como primeiro ato da pré-candidatura de Haddad, a adesão foi baixa. Ao menos 50 cadeiras foram recolhidas às pressas pela assessoria antes dele e da presidente Dilma Rousseff iniciarem a cerimônia. O salão Nobre do Palácio do Planalto, que estava passando por reforma, foi liberado para o evento.

A transmissão do cargo de Haddad para Mercadante renderá mais um evento no Planalto nesta terça-feira, às 15h. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prometeu que estará na cerimônia e deverá fazer seu primeiro discurso após ter descoberto no ano passado um câncer na laringe.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.