Zé Reinaldo, os três mosqueteiros e o fim do sonho de ser senador

O ex-governador Zé Reinaldo Tavares sente na pele as consequências de ter sido deixando no meio do caminho.  Sem as bençãos do governador Flávio Dino, ele  pode dar adeus ao sonho de se tornar senador da república, como seu criador, José Sarney , a quem deixou no meio do caminho.

Com a perda de Humberto Coutinho(saudosa memória) o ex-governador e deputado federal não tem ninguém de peso ao seu lado. Hoje conta apenas com o prefeito de Tutum, Cleomar Tema, o ex-prefeito de São Domingos Tratrozão e o deputado Fábio Braga, que inclusive  mantém a filha  de Zé Reinaldo nomeada em seu gabinete, a mando de Clóvis Fecury, cunhado de Braga e seu mui amigo.

Para tentar se manter no jogo e com a esperança de se eleger senador, Zé Reinaldo aposta todas suas fichas no deputado Eduardo Braide, aquele mesmo que achou que poderia ser prefeito passando por cima de colegas e sem precisar de ninguém. Braide é aquele mesmo que pagou com dinheiro público de seu gabinete , dois membros de uma quadrilha que desviou mais de R$ 30 milhões de reais de prefeituras, maior parte desse dinheiro da prefeitura de Anajatuba .

Mas essa é outra história …

 

 

 

Um comentário sobre “Zé Reinaldo, os três mosqueteiros e o fim do sonho de ser senador

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.