Senado: Opção de Flávio Dino pode gerar crise e enfraquecer seu projeto de reeleição

Blog do Gláucio Ericeira

De férias das suas funções até o próximo dia 09, o governador Flávio Dino (PC do B) escolheu o mês de março para bater o martelo e definir o segundo nome que representará o seu grupo político na disputa pelo Senado.

O primeiro, o deputado federal e presidente do PDT no Maranhão, Weverton Rocha, foi escolhido pelo comunista ainda no ano passado e representa, segundo ele, uma candidatura alinhada ao seu campo de esquerda.

Ocorre que a demora de Dino em definir a chapa senatorial pode lhe causar uma grande dor de cabeça aliada a uma crise política que pode prejudicar, e muito, o seu projeto de reeleição.

Disputam a indicação para figurar como segundo nome os deputados federais José Reinaldo Tavares (sem partido), Eliziane Gama (PPS) e Waldir Maranhão (Avante).

Correndo por fora, aparece o petista e ex-secretário estadual de Esporte, Márcio Jardim.

O ex-governador e Eliziane são os que aparecem melhor posicionados na maioria das pesquisas de intenção de voto divulgadas até o momento.

No entanto, Zé Reinaldo possui um perfil totalmente diferente dos demais concorrentes.

É nula a chance de Eliziane e Maranhão, caso sejam preteridos, manterem seus projetos de chegar à Câmara Alta por um outro grupo político. Ambos deixam isso claro, uma vez que, até o momento, não deram nenhuma declaração neste sentido.

O mesmo acontece com Jardim que, caso não consiga se viabilizar, não romperá em hipótese alguma com o governador, assim como o seu PT, cuja ala ligada ao presidente estadual, Augusto Lobato, está alojada com cargos na gestão de Dino.

Ontem, durante a posse do deputado Othelino Neto (PC do B) na presidência da Assembleia Legislativa, Zé Reinaldo voltou a confirmar que será candidato ao Senado com ou sem o apoio do governador.

Inclusive, fez questão de agradecer aos acenos dados pelo senador Roberto Rocha e o seu PSDB no sentido de bancarem sua candidatura.

PSDB e DEM, partido ao qual o ex-governador irá se filiar em fevereiro, caminham para um entendimento a nível nacional, situação que deixará o caminho aberto para Zé Reinaldo disputar o pleito pelo grupo de Rocha, que é pré-candidato ao governo e inimigo de Dino.

Sem querer desmerecer o potencial de Eliziane, Waldir e Márcio, mas Zé Reinaldo é, de longe, o que detém o maior lastro político e eleitoral entre os postulantes à vaga.

Além de ser conhecido em todo Maranhão, conta com o apoio massivo do movimento municipalista, formado por prefeitos e prefeitas.

Caso não seja o escolhido de Flávio Dino, Zé Reinaldo será candidato ao Senado.

E tal situação pode enfraquecer o trabalho político que o comunista executa para tentar renovar o mandato; além de gerar uma crise sem precedentes dentro do seu próprio grupo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.