Diante de golpe contra Nelma Sarney, Marcelo Carvalho dá exemplo no TJ

Blog do Gilberto Léda

O desembargador Marcelo Carvalho, do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA), deu nesta semana uma aula de civilidade política, ética e coerência aos colegas de Corte.

Como se sabe, aproxima-se a data da eleição para a presidência e corregedoria-geral do TJ.

Por um acordo de cavalheiros – alguns citam “tradição” – há anos não há votação para os dois postos. Assumem, sempre, os dois desembargadores mais antigos, desde que não tenham ainda ocupado nenhum dos dois cargos antes.

Por essa “tradição”, neste ano os escolhidos deveriam ser os desembargadores Nelma Sarney, como presidente, e José Joaquim Figueiredo dos Anjos, como corregedor.

Ocorre que o governo Flávio Dino (PCdoB) não tem interesse na ascensão de uma Sarney ao comando do Poder Judiciário e atua fortemente nos bastidores pela eleição de José Joaquim, que, assim, não disputaria a corregedoria.

Com isso, o desembargador Marcelo Carvalho decidiu lançar seu nome para o cargo de corregedor. Mas garantiu, contudo, que se José Joaquim decidir voltar à “tradição” para ser corregedor – abrindo o caminho para eleição de Nelma presidente – ele mesmo retira sua candidatura à CGJ.

“Eu renuncio a Corregedoria. Não vou abrir mão de ser digno com o colega e da minha dignidade, da minha ética de não passar por cima do colega”, afirmou Marcelo Carvalho ao Blog do Neto Ferreira.

Um verdadeiro tapa de luva de pelica em quem anda querendo mudar as regras do jogo por conveniência política…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *